BLOG QUE TEVE A SUA ATIVIDADE AO LONGO DO ANO DE 2008

sábado, 13 de dezembro de 2008

O que o prof. Donarte disse mesmo?

Caríssimos alunos da 8ª série, turma 181, do Colégio Marista Assunção. Após meu discurso, no dia da formatura de vocês, alguns alunos pediram que eu lhes desse os nomes dos pensadores que citei enquanto falava. Faço isso nesta postagem. Gostaria de, novamente, agradecer-lhes a honra de ter sido por vós homenageado.
Desejando-lhes um abençoado final de ano, um Santo Natal e muito sucesso no novo ano que se inicia, passo agora a reproduzir o que falei na noite do dia 12 de dezembro de 2008. Alerto para o fato de que ao escrever novamente, algumas (poucas) alterações foram feitas (falar é uma coisa, escrever é outra):

"Prezado senhor Diretor José Menti.
Prezado senhor Vice-diretor Alexander Goulart.
Prezados Educadoras da Equipe Pedagógica: Adriana Companhoni e Domênica Martí.
Prezados colegas Professores.
Estimados pais.
Caros familiares e amigos.
Queridos formandos.
Ao longo do ano letivo, como vocês mesmos ressaltaram, convivemos em diversas situações que nos possibilitaram a construção de conhecimentos. Reconstruções também foram feitas, pois, vocês se depararam com situações novas, conteúdos novos e pessoas novas. Esses encontros nem sempre foram prazerosos. Serviu para desequilibrá-los e acomodá-los novamente. Acomodá-los agora com um conhecimento transformado, mais elaborado e mais complexo. Tais encontros, também, serviram para algo que é de suma importância. Serviu para ensinar-lhes que estudar nem sempre é prazer e alegria; também é dor; também há suor; nem sempre é fácil (DEMO, 2000; 2005). Mas a vida é assim, repleta de desafios nem sempre prazerosos, quase sempre suados e frequentemente difíceis. “Nós educamos para toda a vida”.

Deixo-lhes uma reflexão, ou melhor, convido-lhes a uma reflexão: O mundo atual diz que não existe a Verdade; que as “verdades”, cada um de nós constrói. Verdade deixou de ser escrita com letra maiúscula e passou a ser escrita com letra minúscula. Atenção para este equívoco! É bem verdade que tomar a verdade como relativa nos ajuda a entender melhor a “colcha de retalhos” que é o mundo. Mas, dizer que não há verdade ergue-se como grande mentira, pois, afirmar que não existe verdade e nada mais pode ser afirmado como certo pretende já ser uma verdade. Mas é uma falsidade (CIRNE-LIMA, 2005; 2008).

Mas então o que a Verdade? A verdade está na Ética. No comportamento e ação que vocês deverão ter a partir de agora. O mundo não está pronto e precisa de cada um de vocês. Levem a verdade ao mundo. Comuniquem que é possível o amor. Digam que a Fé não é feia; é remédio que capaz de curar.
Termino copiando um pensamento sempre dito por um professor da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; o professor Dr. Luciano Marques de Jesus. Ele fala citando Viktor Frankl (psicanalista que viveu os horrores da Segunda Guerra Mundial): ‘invertam a pergunta ‘o que eu quero da vida’. Passem a se perguntar: ‘o que a vida quer de mim’.
Foi uma honra!!! Muito obrigado e sucesso!!!”.

REFERÊNCIAS

DEMO, Pedro. Educação e Conhecimento: Relação necessária, insuficiente e controversa. Petrópolis: Vozes, 2000.

______. Educar pela Pesquisa. 7.ed. Campinas,SP: Autores Associados, 2005.

CIRNE-LIMA, Carlos. Dialética para principiantes. 3. ed. São Leopoldo: UNISINOS, 2005. 247 p. (Especialmente as páginas: 17 a 19).

HELFER, Inácio; ROHDEN, Luiz; CIRNE-LIMA, Carlos (Ogrs.). Dialética e Natureza. Caxias do Sul: Educs, 2008. (Especialmente as páginas: 7 a 10).

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

♥ -oiq

SÓ MAIS ALGUMAS HOOOOORAS COLEGAS! :(

Não existem palavras para descrever o que foi o nosso ano, passar tudo o que a nossa turma passou unida.
Gostariamos de agradecer principalmente ao sor DONARTEEE! brigadãão por tuudo, e agradecer a vocês colegas, que vão ser pra sempre! ♥
MiGuXxXxXxOoOoOsSsS, eW kIrIa DiZê kI tUdO vAy FiKaR GuArDaDu aKi (L) tri né :D
Nos vemos na formatura, beijos a todos :*



Laura e Helô :D

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

A história das coisas

O filme assistido “A História das coisas” demonstra que todo o sistema econômico é uma cadeia, tudo começa na coletação de recursos, começam a tirar recursos de bens naturais, arvores, pedras etc. Esse material é mandado para as indústrias onde começam a fazer produtos para vender para as pessoas. O produto vai para os mercados, onde meio que força as pessoas a comprar os seus produtos, então você se pergunta: “Como assim força a comprar?” Simples, um exemplo: Uma pessoa vai ao mercado e compra um radio, esse radio naquela hora é um “top” de linha, essa pessoas fica com esse radio por um tempo curto, vamos se dizer alguns meses, e logo depois lançam um rádio que é mais moderno q esse, e ao passar de mais tempo ainda, aquele rádio fica ridículo para o uso, isso força as pessoas a comprar. Agora, pense bem, você já imaginou se nós ainda estivéssemos com tudo que comprássemos? É,sua casa iria ser pequena, para isso serve nosso amigo lixo, vamos lá tranquilamente, jogamos nosso lixo fora e esquecemos dele, tudo bem, é o que se deve fazer, então o lixo vai para o processo de reciclagem, aquilo que você botou fora vai ser reciclado para criar um novinho em folha, que bom você diria, mas tudo tem seu outro lado... Os recursos que são usados para esse processo de reciclagem soltam vários compostos químicos que prejudicam o meio ambiente, toda essa poluição vem das indústrias que soltam esses gases por ai sem parar, foi isso que eu consegui retirar de melhor no filme.

A Guerra da Bósnia - Herzegovina

A guerra da Bósnia começou com a dissipação da Iugoslávia, e foi dividida em vários países, a Bósnia por sua vez se indepentizou e a Sérvia atacou o país não apenas por questões religiosas e também territoriais, como a predominância da Bósnia era de muçulmanos a Sérvia fez uma limpeza étnica no país.
A Croácia por sua vez entrou no conflito também devastando os muçulmanos da Bósnia.
No final da guerra a Bósnia continuou com seu território mas totalmente devastada e destruída, atualmente é mantido um acordo de paz entre esses países e tropas da ONU que interviram no combate e que deram fim e ele montam guarda na região para manter a paz entre as nações.

As coisas: O que são e para onde vão.

Segundo o vídeo que vi: A História das Coisas, pude concluir diversas coisas. Uma delas é que TUDO que compramos é feito para ser posto no lixo, para que nós os compremos novamente e coloquemos no lixo novamente, é um ciclo vicioso que está destruindo o nosso planeta, e depois você para pra pensar e reponde: Ah mas é para isso que serve a reciclagem, mas, acabamos de ver que a reciclagem somente diminui o tempo que levará para nosso planeta ser destruído.Uma outra coisa é algo que nós aqui do Brasil também sofremos, os políticos estão virando fantoches das grandes impresas, para agrada-las eles exploram mais e mais os trabalhadores e dão benefícios às impresas de grande porte, e,enquanto nós os trabalhadores estamos em sua maioria na miséria os políticos estão em suas casas de luxo com suas televisões de plasma.Esse vídeo também nos alertou sobre todas as toxinas que nós convivemos diariamente, e que muitas delas estão presentes na nossa alimentação e em utencílios que usamos diariamente.ME impressionei com o que vi e um parabéns a duas pessoas,uma para a pessoa que fez o vídeo para nos alertar, e a outra é para a Laura Castilhos que trouxe o vídeo para assistirmos. Deixo esta postagem com uma pergunta o quê VOCÊ faz para o seu planeta (Terra lógico) ??

Bósnia Herzegovina

Texto elaborado por Matheus Pereira.


A Bósnia se proclamou independente em 1991, mas ela se envolveu numa guerra sangrenta nos anos 90. Essa guerra não foi apenas questão religiosa, e sim, por conquistas territoriais pelo lado da Sérvia.A Sérvia queria mais território, então sendo apoiada pelo exercito da ex – Iugoslávia fizeram a maior “limpeza étnica”. Os Croatas vendo isso em vez de apoiar os Bósnios, começaram a fazer o mesmo jogo dos Sérvios, que era eliminar os Muçulmanos.

Os Estados Unidos demorou muito a perceber a “limpeza étnica”, junto com a ONU, a Sérvia quando matava os muçulmanos cavava uma foça para botar os corpos, tapando os buracos para os satélites não pegarem.

Até que um dia os Estados Unidos lançaram um satélite que pegava tudo que estava no chão, depois de muito tempo a ONU junto com a Rússia e os EUA enviaram tropas internacionais da paz na região do combate.Então em 1995 as regiões fizeram um acordo de paz entre esse países e tropas da ONU estão de guarda para manter a paz no território.

(Obs.:Postei o texto pelo Matheus porque ele não conseguiu postar.)

Nosso futuro em suas mãos

O vídeo realmente me impressionou com o modo e a clareza como são mostradas as coisas, e o fato de que foi uma típica norte-americana quem falou indignada sobre os problemas que o seu próprio país cria me traz um pouco de esperança.

Não podemos negar que adoramos toda essa tecnologia e conforto, muito pelo contrário, adoro minhas coisas e não teria coragem de abrir mão de muitas delas. Mas acontece que se essa tecnologia, esse consumismo todo não parar, ficaremos sen nenhum recurso natural no nosso planeta. Afinal, de onde achas que vêm todas as coisas? As pessoas arrancam árvores, matam animais e os tiram de seus habitats, poluem rios... tudo isso pra montar uma empresa de eletrônicos ou qualquer coisa que o valha, coisas que se renovam e evoluem a cada ano, o que vai gerando quilos e quilos de puro lixo!

Os seres humanos ja acabaram com mais de 30% dos recursos naturais do planeta Terra e se continuar assim, precisaremos de outro pra viver ! Mas aí vem a outra pergunta: e tem outro pra viver? Não! A Terra é um lugar único, com as mais belas paisagens naturais que se pode imaginar, e também as mais 'belas' paisagens artificiais que se pode imaginar, como todos os aterros criados para literalmente jogar o que não se usa mais, o que não pode ser reciclado nem reutilizado, pois somente 1% das coisas que consumimos podem ser recicladas, o que se deduz que a quantidade de lixo por aí só tende a aumentar, precisaríamos de CINCO planetas Terra para 'guardar' todo o lixo que tem por aí.

O principal culpado disso tudo é o nosso velho conhecido consumismo, que faz as pessoas comprarem, comprarem, comprarem e... foi tudo? Ah, esqueci, elas compram também! Enfim, as pessoas são bombardeadas de propagandas dia e noite, em TV, revistas, jornais, rádio, TUDO! E os preços vão baixando cada vez mais, o preço de venda na maioria das vezes é bem menos da metade dos custos de fabricação, exportação, etc. E quem paga por tudo isso? Os coitados dos trabalhadores que aceitam qualquer 'mixuruca' de salário só pra ter no mínimo um emprego, trabalhadores que passam quase 15 horas dos seus dias no meio de toxinas para a produção desses objetos, trabalhadores que eu posso garantir que têm medo de fazer o menor erro no trabalho porque podem perder o emprego para mais um daqueles montes de desempregados do Exército de Reserva que espera por uma chance do lado de fora das fábricas. E de quem é a culpa de o consumismo estar tão em alta nos últimos tempos? Você.

O mais interessante do vídeo é que a pesquisadora Annie Leonard traduz todos os processos da extração, produção, distribuição, consumo e o tratamento de lixo. Sério, eu não consigo parar de pensar na indignação que podemos ver claramente nos seus olhos, as palabras que ela usa pra mostrar tudo o que fazemos e nem nos damos conta, ou se sim, não paramos pra pensar, pesquisar e ver se afeta ou afetará em alguma coisa nossas vidas. Todo mundo fala que 'a reciclagem é isso, reciclagem é aquilo', mas não é TUDO isso. Como eu já disse antes, 99% das coisas que consumimos não pode ser reciclada, como a caixinha de suco: temos o plástico da embalagem, o papelão da parte do meio e o metal de dentro para a conservação. Como reciclar um material assim? Isso é fruto das misturas de substâncias, o que nos impede de reciclar. Tudo deve mudar desde o princípio.

Conhece aquela frase "Vamos começar pelo começo"? Devemos levar ao pé da letra essa frase e começar a mudar a partir do processo de extração. Se as corporações, que hoje em dia são mais poderosas que qualquer governo, começarem a botar ordem nas extrações de recursos naturais, e fizessem tipo uma lei que proibisse tirar mais de tantos por cento de matérias primas de um lugar pra cada empresa, eu acho que diminuiria o desmatamento, a poluição... (Outra coisa, se houvessem mais propagandas e divulgação sobre os problemas que ocorrem quando se passam horas na frente de um computador, televisão, ou qualquer outra coisa do gênero, diminuiria o grau de sedentarismo na atual realidade. As pessoas andam muito sedentárias por causa de toda essa tecnologia.)

Voltando ao assunto segundos antes abordado por mim, sobre o processo de extração, eu lhe faço uma pergunta: Você destruiria a sua casa, o seu quarto, o seu lar? Não, certo? Então por que, diabos, destruir o lar de todos, que é a nosso planetinha azul? A decisão está em suas mãos, pense nisso, aja como Annie Leonard, a escolha é sua.

As coisas

Esse filme nos faz refletir de como são feitas e para onde vão as coisas que usamos diarimente.Quando compramos comida no mercado não sabemos que estamos comprando coisas com veneno, que utilizado para fabricar.As coisas hoje em dia estão sendo fabricadas ja com proposito de estragarem rápido e você ter de compra-la de novo.E também cada vez mais estamos destruindo a natureza existente no planeta.

As coisas

O lixo do mundo

Vi um filme na aula de geografia que falava sobre o ciclo das coisas que consumimos. A apresentadora do filme contou que mora nos Estados Unidos e o país não tem mais florestas para tirar recursos naturais, e, por isso, “rouba” as florestas de outros países. O nome do filme era “A história das coisas” e falou das coisas que consumimos.
Celulares, computadores, baterias, mp3’s, pilhas, etc. são colocados fora diariamente, você já parou para pensar para onde vai tudo isso? Todos esses produtos passam por um processo de destruição do lixo e depois voltam para as fábricas para virarem novos produtos.
Depois de ter visto o filme, vou pensar duas vezes antes de botar qualquer coisa fora.

O Consumismo do Homem

O mundo está cada vez consumindo mais, isso é fato!
Todo dia ouvimos em rádios, TVs que novas roupas, novos celulares são lançadas, mas já percebeu como uma propaganda induz você quase que diretamente que é preciso comprar aquilo. Mas por quê?
Porque estamos em um mundo consumista onde sua vida é um rodízio entre trabalhar, comprar e jogar fora, onde isso se repete, mas para produzirmos tanto para milhares de pessoas comprarem e comprarem precisamos de matéria prima.
De onde vem essa matéria prima? Da natureza, onde milhares de plantas são derrubadas por segundo e nem metade são replantadas, ai que está o problema, consumimos um monte para depois colocarmos fora, no lixo, que na maioria das vezes vai para aterros em baixo da terra.
Mas aonde isso vai parar?
Ninguém sabe. A maioria dos objetos comprados vão para o lixo 6 meses depois da compra, pouco desse lixo é reciclado, e mesmo que reciclado o pouco que você recupera é 70 vezes desperdiçado para produzir esse objeto.
Poucas pessoas sabem disso, mas no processo de fabricação é perdida muita matéria prima e também pessoas que podem estar trabalhando em mas condições.
Será difícil chegar a um equilíbrio de matéria prima usada na fabricação e matéria prima reaproveitada da reciclagem de objetos.
Acho que o mundo todo tem que começar a se preocupar com isso já, porque se não tomarmos uma providencia, nossa maravilhosa Amazônia pode desaparecer.

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

O consumismo em nossas mãos

O vídeo tratado: História das Coisas apresenta os problemas do sistema em que vivemos, que mais tarde vem a ser chamado de consumismo, que consiste no consumo de todo e qualquer produto sem se preocupar o que a produção deste produto pode gerar, quem paga realmente esse produto e que é pago por esse produto. Estes são as perguntas principais que a pesquisadora se faz, e utiliza como base para produção do vídeo.
O vídeo inicia apresentando o sistema, quem o compõe, seus defeitos, os dados. Vou dar mais detalhes. O sistema é composto por cinco etapas: a extração, a produção, distribuição, consumo e o tratamento do lixo. A extração é na verdade uma exploração dos recursos naturais, que estão findando-se. O mundo consome demais e preocupa-se com o fim dos recursos muito pouco, esse é um problema apontado no vídeo. Outro detalhe da extração é que as pessoas que a fazem, desprezam as pessoas que vivem através desses recursos há anos.
Depois, na fase de produção, o vídeo aponta o problema dos produtos químicos e tóxicos que são acrescentados na fabricação dos produtos. Na produção o que torna muito barato todo o processo é o desemprego. O desemprego, segundo o vídeo acontece porque os recursos naturais que antes sustentavam aquelas pessoas, agora não existem, então aquelas pessoas têm de conseguir um emprego, seja ele qual for, e pelo salário que for, pois se ela não aceitar aquele baixo salário, alguém vai querer e ela vai passar fome. Nessa parte fica claro o descaso do governo e das corporações para com todos os que não pertencem a nenhum desses grupos.
Na distribuição, o que acontece é uma tentativa de vender logo os produtos, mas sem gastar muito com isso. E para isso, o salário das pessoas que trabalham na distribuição tem que ser baixo. “O verdadeiro custo não se reflete no preço, quem paga são os trabalhadores” aceitando os baixos salários que lhes são impostos: Na extração as pessoas pagaram com a perda de seus recursos naturais. Na produção quem paga são os trabalhadores que alcem de receberem baixos salários, perdem o ar puro. E na distribuição quem paga são os trabalhadores que ganham baixos salários.
Chegamos então ao consumo. No consumo, as pessoas são induzidas a comprarem cada vez mais, a circularem os produtos. Mesmo que 99% daquilo que compramos, vire lixo em menos de seis meses. Não nos damos por conta que o nosso consumo é o que gera todos os malefícios desse sistema. Esse é o nosso erro! Consumimos demais. Mas isso não é apenas nosso descuido. Trata-se de um plano de impulsionar a economia, o plano feito por Victor Legro dizia que nossas vidas tinham que ser voltadas ao consumo, que o nosso ego dependesse do consumo. O nome desse plano é consumismo. Desde então somos induzidos a consumir mais e mais e isso se tornou totalmente indispensável em nossas vidas, como previa e planejava Legro.
Os meios pelos quais nos induziram a isso são a obsolescência planejada: que consiste na fabricação de produtos praticamente descartáveis, para que joguemo-los fora e compremos outro; e a obsolescência perceptiva: que diz que há coisas melhores a cada momento, se de repente você compra uma coisa, dalí a um tempo haverá algo mais novo. E se você não tem esse novo objeto você é motivo de chacota, pois recapitulando: a sua importância para a sociedade depende do quanto você contribui para o sistema.
Após, vem o processo de tratamento do lixo. Atualmente o que acontece com o lixo é que ele é queimado, gerando as piores toxinas, ou enterrado, que também prejudica o solo. Reciclar não é a solução pois é muito complicado, os produtos atualmente não são simplesmente de papel por exemplo. Cada coisa possui uma série de elementos: metais, papéis, vidro. Por isso não há como reciclá-lo. A solução é um sistema não mais linear, mas sim circular. Tendo como base a sustentabilidade, a utilização de fontes renováveis de energia, de matéria prima, etc. Essa idéia pode ser tachada por muitos como idealista, sonhadora. Mas depende apenas de nós, da nossa consciência, da nossa organização e da nossa força de vontade. É uma escolha de cada um. Melhorar o mundo, ou simplesmente abster-se alegado ser uma viagem.

Consumismo em alta

O mundo está se enchendo de lixo, isso é fato. E a matéria prima para o lixo são os recursos extraidos da natureza. Cada vez mais estamos destruindo a natureza. Mas qual a razão para extrairmos e poluirmos a natureza? O consumismo, a necessidade cada vez maior de mais e mais. Mas qual a razão de sermos tão consumistas?
Depois da Segunda Guerra mundial, a economia mundial tinha grandes problemas. Então um americano disse que precisava que as pessoas consumissem cada vez mais. Assim, ao longo dos anos, o consumismo ficou maior e maior até hoje, onde é gigantesco. Mas para consumir em grande escala, é preciso produzir em gande escala, e para isso é preciso extrair muita matéria-prima, e da onde ela vem? Da natureza. No processo de produção são lançados no ar muitos poluentes e também é gerado muito lixo, muito mais do que nós produzimos em casa.
Após a natureza ter sido destruida e muitos poluentes terem sido gerados, nós consumimos o produto final do processo, afinal esse é o objetivo. Então, após usar o produto, jogamos fora ele , e ele vira lixo. Um dado curioso é que 99% das coisas que compramos são jogadas fora 6 meses depois da compra.
Resumindo: destruimos a natureza extraindo matéria-prima, poluimos ela e produzimos lixo ao mesmo tempo, isso para fazer produtos. E depois que consumimos esse produto jogamos ele fora e ele vira lixo. Onde o mundo vai parar desse jeito?

O mundo consumista afogado em lixo

O filme fala da situação na qual o mundo vive atualmente, que é muito ruim, pois essa cadeia industrial está piorando cada vez mais nossa situação, o mundo tem recursos finitos, ou seja, eles um dia acabarão.
Esses recursos são usados na produção de tudo que consumimos, vivemos num sistema de produção linear onde muitos recursos e até pessoas são disperdiçadas, este sistema no seu final gera uma enorme quantidade de lixo que não temos onde colocar e vai se acumulando cada vez mais e acaba interferindo lá no início do processo. Atualmente existem os processos de reciclagem do lixo, uma ação benéfica mas ineficiente, pois muitos produtos que consumimos são compostos de elementos químicos que não podem ser reciclados, e quando podem, geram toxinas mais poderosas ainda, acabando com nossa saúde.A produção de lixo anual de uma pessoa é de aproximadamente 300Kg por ano se multiplicarmos esse valor pela populaç~~ao mundial que é de aproximadamente 6,6 bilhões de pessoas temos um total de 1.980.000000 trilhões de Kg de lixo por ano e se convertermos em toneladas aproximadamente 1.980.000 de toneladas de lixo, uma situação muito agravante.
Isso tudo acontece por causa do consumismo, é como podemos chamar o mundo atual de ''Mundo Consumista'' que vai acabando com os recursos naturais da terra.

Planeta Lixo

No filme que vimos, muitas coisas me chamaram a atenção e fizeram eu “cair na real”. Estamos usando todos os nossos recursos naturais só para termos uma pouco mais de bem estar. E eu me pergunto, no dia em que não existir mais petróleo, pedras preciosas, madeira e tudo que a natureza nos da, como vamos viver?
Até lá, eu espero, que tenhamos diminuído nossa “fome” por tudo isso, é lógico que não podemos deixar de usar o petróleo, é obvio que precisamos de pedras preciosas, mas precisamos saber usar eles de forma responsável e econômica! Por exemplo, grande maioria das coisas hoje em dia é feita de petróleo, porque não começamos a reciclar essas coisas, porque não começamos a usar elas de forma adequada, sem desperdícios... Porque essas coisas nós usamos, daí depois, pra onde vai? Algumas coisas ate são reaproveitadas, recicladas, mas outras acabam viram LIXO! O lixo que polui as ruas, rios, lagos, oceanos...
E pensa comigo, cada vez mais vamos criar lixos, aonde vamos por tudo isso? Um dia vai ser tanto que realmente, não vai ter aonde por. Vamos começar a viver em cidades lixos, as doenças vão ser mais fortes e nos cada vez mais vulnerável! Mas existe uma solução, e a solução é a RESPONSABILIDADE. Precisamos ter responsabilidade para não desperdiçar esses bens naturais que só nos fazem bem. Mas se você começar a pensa coisas do tipo “ah esses bens naturais não vão acabar antes de eu morrer...” e tal, pensa na sua família, nos seus filhos, netos, bisnetos que terão que conviver com o mundo lixo que VOCÊ ajudou a criar.

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Planeta, consumo, lixo, o que tu achas?

Hoje vivemos em um mundo totalmente consumista. Todos nós, não interessa se é novo ou velho está rodeado de aparelhos eletrônicos, cada vez mais tecnológicos, mas o que nós não reparamos o lugar de onde os produtos para a fabricação desses aparelhos, que são da natureza tiramos os metais das árvores e montanhas do nosso planeta como diz Annie Leonard a pessoa que se interessou pelo assunto e fez o vídeo A história das coisas.

No vídeo nós vemos que o consumo, o que considero como “tradução” para o mundo de hoje, vem acabando com aquilo que é natural. Os produtos naturais se juntam com as substâncias tóxicas (que são produzidas pelas indústrias e fábricas que destroem a natureza para extrair os materiais usados na produção, como eu havia dito) e produzem tudo aquilo que consumimos. Praticamente nada atualmente é natural, porque algo natural é muito mais caro do que algo industrializado cheio de conservantes que não são bons para a nossa saúde.

Mas voltando ao ponto principal, o nosso mundo consumista, é indispensável acrescentar que todo esse consumo faz uma alta produção de lixo, porque nós queremos sempre mais, e esse “mais” é cada vez mais novo e mais tecnológico, e aquilo que está velho, que ainda funciona, e que ainda está em boa qualidade, vai para o lixo, traduzindo, o seu dinheiro vai para o lixo. Esse lixo vai acumulando, acumulando e acumulando ainda mais, pois não temos onde por todo esse “desperdício de planeta”, na verdade temos sim onde por todo esse lixo, mas não é o lugar adequado. Em um buraco, debaixo da terra, não é a solução deste problema, não é mesmo.

E há um grande engano ocorrendo aqui, as pessoas acham que com a reciclagem nós poderemos salvar o nosso planeta, mas, por favor, não se iludam, a reciclagem ajuda sim, mas ela não é uma “super-heroína”, temos muito lixo, muito lixo mesmo, e alguns produtos, digamos que muitos deles não são recicláveis, pois foram feitos com diversos tipos de materiais para o seu conforto que não podem ser reciclados juntos, por isso precisamos muito mais do que uma simples reciclagem.
Então pense, pense no que está acontecendo com o nosso planeta.

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Atividade de Recuperação (Geografia):

A Atividade de Recuperação deverá ser feita e entregue até dia 27 de novembro.


Para fazer o download do arquivo em “.doc”,

:::::::clique aqui::::::::


Obs.: o arquivo está hospedado no site 4shared. Para baixá-lo, basta clicar no botão “Download now”.

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

O Mundo Consumista

O mundo hoje em dia tem sua população consumindo cada vez mais e com isso poluindo o ar, destruindo os recursos naturais e transformando em objetos como rádios, televisões, computadores..., mas os recusos usados para criar esses objetos são combinados com compostos quimicos.
Mas esses produtos criados nas fabricas veio para os mercados para ser vendidos depois de comprados esses produtos só são utilizados por seis meses e depois jogados fora para serem enterrados ou queimados e depois enterrados, assim contaminando o ar, o solo, e a água.
Não é somente desperdicio de recursos naturais mas também de pessoas que trabalham nas fabricas com produtos toxicos se contaminando e mais tarde ficando doentes e morrem.

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

História das Coisas - vídeo

video

Bom, turma, como eu prometi, estou postando o vídeo que o sor Donarte passou hoje na aula, já que fui eu quem mostrou pra ele, me senti no direito de postar aqui! Obrigada!

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Chechênia


A Rússia, com tantas etnias diversas em seu território, não terá futuro como o maior país do mundo, na minha opinião, é fato que o país vai acabar se dividindo daqui a um tempo. Talvez porque seja difícil controlar e governar 17.075.400 km² de terra, ou talvez porque há muitos conflitos na região, o que volta e meia causam guerras maiores.
Tomemos a Chechênia como exemplo, uma pequena república perdida no meio da imensidão do território russo. Em 1991, a Chechênia tentou declarar sua independência, mas logo depois foi invadida pela própria Rússia que não aceitava. Depois de muita violência e uma repressão militar que provocou uma enorme destruição na região, os russos conseguiram manter o seu controle e manter a própria Chechênia sob o mesmo controle que fora controlado - pra que servem essas minhas piadinhas infames? - há pouco.
Me pergunto quanto tempo levará até que a economia da região chechena s recupere completamente, mas mesmo assim o sentimento de separatismo por parte dos chechenos continua cada vez mais aumentando, de quem sabe até construir o seu próprio Estado nacional. Creio que se isso de fato acontecer, pode influenciar os outros países por ali a fazerem o mesmo, o que para alguns estudiosos é apenas questão de tempo. Para eles, a Rússia não conseguirá manter unidas todas as suas regiões durante o século XXI, ainda mais com essa crise econômica.

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Compreendendo o Conflito na Bósnia-Herzegovina

Diferente do que muitos pensam, a guerra da Bósnia Herzegovina não se trata apenas de questão religiosa, tem também muito a ver com a geopolítica xenofóbica, um está ligado ao outro.

A Bósnia tem dentro de si uma mistura de religiões, que com a rotina acabaram se dividindo em ‘raças’,como é comum dizer, sendo todas de origem eslava. Lá, a questão religiosa é tão importante como um time de futebol é para aqueles fanáticos que dariam a vida pelo time, então, cada raç... digo, religião, quer a dominação do país pelo seu lado, o que acaba gerando o conflito, a Guerra da Bósnia foi a maior guerra dos anos 90, tudo culpa dessa rivalidade entre as religiões, que logo já são chamadas de etnias.

Logo depois de os conflitos se iniciarem, a Bósnia estava dividida em muçulmanos e sérvios, que, irritados com o fato de os muçulmanos estarem com uma diferença notável em número, realizaram um genocídio (eliminação de um etnia de uma região) contra os muçulmanos, pobres almas que só queriam um pouco de paz ( hohoho, e não, eu não sou o Papai Noel! ) com a ajuda de outros países da antiga Iugoslávia, já que dispunham de um armamento mais avantajado.

Um fato que me chamou a atenção é que a Croácia foi assim, digamos, bem duas caras, com dupla personalidade. Primeiro, os croatas ajudaram os sérvios, se me lembro bem, a acabar com os muçulmanos, mas depois eles tentavam conquistar as terras em que os sérvios eram menos providos de forças na região onde eles haviam invadido a Croácia, uma coisa meio “ladrão que rouba ladrão”.

Mesmo não aceitando o fato de que todo o conflito estivesse se desenrolando em sua região, a UE nem ao menos TENTOU intervir, deixou para que os EUA fizessem alguma coisa, o que de fato não aconteceu. Os americanos e a ONU demoraram um bocado de tempo para perceber o que estava acontecendo por lá, e mandou para a Bósnia em 1993 os chamados “capacetes azuis” ( tadinhos, eu não gostaria de ser chamada assim... ), que eram as tropas internacionais de paz, a fim de evitar que o conflito se alastrasse.

O Acordo de Dayton, que deu uma maior autonomia a Bósnia e a dividiu em 49% para os sérvios e 51% para os muçulmanos, foi assinado em 1995, mas até hoje nada está muito bem resolvido, a Bósnia ainda está meio destruída e arrasada pela guerra, acho que ainda vai levar um tempo até tudo se resolver..

Compreendendo a Guerra no Kosovo


A Guerra no Kosovo começou com a intervenção da OTAN na Iugoslávia com aqueles bombardeios por aviões, a fim de parar a expulsão dos de etnia albanesa de Kosovo pelas forças sérvias, já que o Kosovo é uma região de cerca de 80% só de gente da etnia albanesa, não sei a palavra correta, mas acho que são albaneses, que tem origem albanesa e muçulmana.

Mas a perguntas que muitos se fazem é o por que de os sérvios e os albaneses brigarem por Kosovo. No ponto de vista sérvio é simples, é só porque Kosovo e a parte sul da Iugoslávia eram o a área original da Sérvia na época da Idade Média, na minha opinião, um motivo bem bobinho. E do ponto de vista albanês é bem simples também, mas são dois "porques": 1°- os albaneses são majoritários 2°- existem albaneses em Kosovo desde o domínio turco, que também foi o motivo de os sérvios saírem de Kosovo e da parte Sul da Iugoslávia.

No ano de 1989, com a Iugoslávia comunista chegando ao fim, o presidente sérvio Slodoban Milosevic tirou autonomia dos albaneses de Kosovo. A rivalidade foi crescendo tanto que surgiu o exército de Libertação de Kosovo, uma 'guerrilha' albanesa, mais conhecido como ELK.

Para aprimorar seus conhecimentos sobre Kosovo e seus conflitos, visite este site e boa leitura!

A Guerra em Kosovo

A guerra que está acontecendo em Kosovo é alimentada pelo ódio e preconceito dos exlugolávistas sobre os mulçumanos e os albaneses.
em 1996, surgiu um grupo guerrilhirto, o exercito de libertação do Kosovo que lutava pela sua indenpeencia da provincia e em 1998 o governo ugoslava deixou de agir de forma "sutil" ou disfarçada e passou a massacrar abertamente a etnia albanesa.
Nesse momento o apoio a Kosovo estava aumentando, graças a mídia internacional e estava chamando atenção de outros países, principalmente na Europa e nos Estados Unidos com uma opinião que favorecia à indenpendeincia de Kosovo

A guerra na Bósnia-Herzegóvina

A guerra da Bósnia é o conflito mais longo da Europa após a segunda guerra mundial, deixou em quatro anos, quatro meses e vinte e seis dias, um total aproximado de duzentos mil (200.000) mortos.
O motivo pelo qual se desenvolveu esta guerra é a disputa por território na região da atual Bósnia-Herzegóvina.
Em meio a esta guerra, aconteceu a expulsão dos povos não-croatas, pelos croatas (da Bósnia); isso ficou conhecido como limpeza étnica, pois os croatas expulsaram os que não pertencessem a essa etnia. Inclusive nesta “limpeza étnica”, foram reutilizados os campos de concentração da II Guerra Mundial.
A Bósnia-Herzegóvina não resistiu e pediu a ajuda de outros países, mas o que ganhou foram alimentos... roupas...
A Croácia entra no conflito e a princípio diz que tem direito sobre parte do território bósnio, mas depois decide ter a Sérvia como rival.
Sendo assim... a guerra persistia, então a ONU e a Otan. Mas uma vez a falta de poder da ONU é demonstrada, tendo várias tentativas de cessar-fogo negadas.

No início de 1995, os sérvios dominavam 70% do território da Bósnia-Herzegóvina. Isso se altera quando os croatas saem vencedores de uma batalha chamada de Batalha de Krajina. As forças dos componentes da guerra ficam semelhantes e então é realizada pelos Estados Unidos, um cessar fogo através de uma negociação de paz.

fonte:wikipedia>

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Bósnia - Herzegovina


A Bósnia se proclamou independente em 1991, mas ela se envolve na guerra mais sangrenta dos anos 90.

Essa guerra não foi apenas questão religiosa, e sim, por conquistas territoriais pelo lado da Sérvia. A Sérvia anuncia uma guerra expansitória do mesmo país, a Sérvia estava sendo apoiada pelo ex-exército da ex-Iugoslavia e com isso estava muito mais aramada que os croatas e os bósnios, e com isso eles fizeram a maior ''limpeza étnica''. Os croatas vendo isso em vez de apoiar os bósnios, começaram a fazer o mesmo jogo dos sérvios, que era eliminar os Muçulmanos.

Os Estados Unidos demoraram muito a perceber a ''limpeza étnica'', junto com a ONU. A Sérvia quando matavam os muçulmanos, cavavam foças pra colocar os corpos mortos, e depois tapando os buracos, para que os satélites não rastreassem.

Os Estados Unidos lançaram um satélite que pegaria tudo o que estava no chão, depois de muito tempo a ONU junto com a Rússia e os Estados Unidos enviaram tropas internacionais de paz na região do conflito.

Em 1995 as regiões fizeram um acordo de paz.
Referencias: ( Fonte: www.jblog.com.br. ) Acesso em 09/10/2008

Bósnia-Herzegovina

A região da Bósnia-Herzegovina é uma região com cerca de 51 129 km² e está localizada em um ponto estratégico, o que despertou interesse pelo seu território nos muçulmanos e dos Sérvios.
Logo que a Bósnia se proclamou uma república independente se envolveu em uma das maiores guerras dos anos 90 e não tinha nem como se retirar da guerra, pois ela se formou a partir da disputa por territórios da Bósnia pelos sérvios e muçulmanos.
A Bósnia ficou dividida um lado era dos muçulmanos e o outro era dos sérvios, que se revoltaram com o fato de os muçulmanos estarem em maior número. Com o apoio de alguns países da Ex-Iugoslavia, bem mais armados do que os muçulmanos, realizaram uma “limpeza étnica”, genocídio contra os muçulmanos.
A Croácia teve parte de seu território invadido pela Sérvia, mas ao contrario do que muitos paises fariam não declarou guerra contra a Sérvia, mas sim se aliou a ela no genocídio contra os muçulmanos para ver se conseguia tomar posse de algum território para si.
Em 1993 a Onu junto com outros paises resolveu intervir no conflito enviando forças de paz, os chamados “capacetes azuis” para evitar um novo massacre.
Em 1995 foi assinado um acordo de paz pelos três paises (o acordo de Dayton), que prevê uma autonomia para Bósnia, mas com duas regiões deles para muçulmanos e outra para a Sérvia.

Guerra da Bósnia


A Guerra da Bósnia, para mim, foi uma mistura de geopolítica xenofóbica e questões religiosas. Se for parar para pensar, neste caso, um tem a ver com o outro.

Com religiões diferentes dentro da Bósnia, os bósnios acabam se dividindo em "raças" diferentes (40% de bósnios/muçulmanos, 30% de sérvios e mais ou menos 18% de croatas). Mesmo todos sendo eslavos e falando a mesma língua, eles tem religiões distintas. Diferente de como é aqui no Brasil, por exemplo, lá eles se "dividem" mais por religião do que por sua nacionalidade, e sua religião acaba virando sua "raça", sua etnia. E, é aí que entra a geopolítica xenofóbica.

Cada grupo religioso quer a dominação do país por sua religião, isso acaba criando certa rivalidade, que com o tempo vai aumentando, até que esses grupos religiosos comecem pequenos conflitos, que com o tempo podem crescer, assim como aconteceu na Guerra da Bósnia, que foi a maior Guerra dos anos 1990.

Na Guerra da Bósnia, os croatas fizeram um "jogo duplo", primeiro ajudaram os sérvios a massacrar os muçulmanos, mas ao mesmo tempo tentavam ganhar território nas áreas onde os sérvios (que também haviam invadido parte da Croácia) eram mais fracos.

A União Européia estava incomodada com a situação, por estar acontecendo em seu território, mas mesmo assim não tomava uma atitude, queria que os Estados Unidos tomassem alguma atitude militar. Mas os Estados Unidos deixou a Guerra se desenrolar, o governo americano estava cansado de sempre tomar a dianteira nesses conflitos. Em 1993 a ONU enviou tropas internacionais de paz (chamados de “capacetes azuis”) para a Bósnia, para evitar que o conflito se estendesse mais. As tropas não entraram diretamente no conflito e não obtiveram muitos resultados. Mas as cidades que haviam sido invadidas por tropas inimigas passaram a receber comida e medicamentos por lançamento aéreo dos capacetes azuis.
Em 1995 foi assinado um acordo, o Acordo de Dayton, que dá uma autonomia a Bósnia e estabelece duas regiões: uma para os sérvios (49% da área) e outra para croatas e muçulmanos (51% da área).
Mesmo com o acordo a situação da Bósnia não está resolvida, pois ela foi arrasada pela Guerra e deve ser reconstruída.
Referências: VESENTINI, William; VLACK, Vânia. Geografia Crítica. Vol.4" São Paulo: Ática, 2004.

Guerra da Bósnia-Herzegovina

Disponível em: <www.vinhoecigarros.blogspot.com> Acesso 09 out. 2008.)


O conflito que esta acontecendo na Bósnia, tem como verdadeiro motivo o território. A guerra civil que se da entre três grupos étnicos: os sérvios (cristãos ortodoxos), os croatas (católicos romanos), e os bósnios (muçulmanos). Esse conflito chegou até a atingir a Croácia. Teve inicio em 1992 e termino em 1995, com a assinatura do Acordo de Dayton.
Na Bósnia-Herzegovina crescia o nacionalismo sérvio que queria restaurar a chamada Grande Sérvia, formada por Sérvia e Montenegro, parte da Croácia e quase toda a Bósnia. Quando os bósnios decidiram pela independência do país e queria ser “donos” da Bósnia, mas os sérvios não aceitaram daí então os conflitos começaram e cresceram...
A Bósnia-Herzegóvina pediu a ajuda militar internacional, mas só recebeu ajuda humanitária como alimento e medicamentos. A Croácia entrou no conflito e se voltou contra a Sérvia.
Com o crescimento da guerra, a Otan enviou tropas para ajudar no conflito. Até mesmo a ONU mandou uma força de paz. No início de 1995, os sérvios dominavam 70% do território da Bósnia-Herzegóvina. Mas após a Batalha de Krajina os croatas saíram vitoriosos. E claro que não podia faltar os Estados Unidos nessa historia, ele promoveu uma negociação de paz entre as etnias. Essa negociação foi o tal acordo de Dayton, assinado em 1995 em Paris. Ele previa a manutenção do Estado da Bósnia-Herzegovina com as fronteiras atuais, dividindo a o país em regiões distintas: uma ocupada pelos sérvios (49% do território) e a outra dividida pelos croatas e mulçumanos (51% do território). Com isso a guerra parou, mas a etnias ainda convivem com dificuldade...
O país hoje, ainda tem muitas marcas da guerra, cidades, fábricas, milhares de mortos e doentes, doenças se proliferando por causa das péssimas condições sanitárias...
Em 1996 a ONU assumiu uma missão de paz na região, assumida pelas tropas da Força de Implementação da Paz, da Otan.
Referência: Vesentini, William; Vlach, Vânia. "Geografia Crítica. vol 4" São Paulo: Àtica, 2004

Conflitos do Kosovo

1º Conflito


Antecendentes


A tensão entre separatistas de origem albanesa e o governo central da Iuguslávia, liderado pelo prtesidente nacionalista Slobodan Milosevic aumentou ao longe de 1998.Guerrilheiros do Exército de libertação do Kosovo intensificaram as suas acções contra alvos Sérvios e passara a controlar partes da província.A reação do Belgrado despertou a preocupação na comunidade internacional, como suspeitas de atrocidades por parte do exército Juguslavo.


Em uma reunião realizada no castelo de Rambouilet, na França, os diplomatas sérvios aceitavam conceder autonomia ao Kosovo, mas os albaneses rejeitaram a proposta, e com isso os sérvios recusaram a presença da OTAN noterritório, algo que os albaneses desejavam.


2º Conflito


Início da Guerra da OTAN contra Belgrado


Após fracassar as negociaçoes de paz sobre o conflito separatista, a OTAN atacou a Jugoslávia em 24 de março de 1999, dando início à Guerra do Kosovo. A OTAN exigia que Milosovic aceitasse as bases do acordo de paz de Rambouilet. A ofensiva começa com ataques a alvos militares, mas a estratégia ampliou ações contra estúdios de televisão, pontes, fábricas e o sistema de eletricidade da Sérvia.


Fim da Guerra


Após 79 dias de bombardeiros, em 3 de ujnho de 1999, os líderes ocidentais e Milosevic chegaram a acordo para o fim da guerra: as tropas sérvias iriam retirar-se e permitir o estacionamento de uma força internacional de paz no kosovo. Em 10 de Junho, a cupula militar da Juguslávia assinou o acordo para encerrar o conflito.


Após a entrada das tropas da OTAN em Kosovo foi instaurado um governo provisório sob tetula da ONU. A maioria dos soldados do exército JUgoslavo deixou a província, e ao mesmo tempo em que refugiados da origem albanesa indicaram retorno ao território, cerca de 200 mil sérvios fugiram para a Sérvia por temerem represálias.
Se quiser saber mais clique aqui

As diferentes etinias



Os países como a Macedônia, Croácia e Eslovênia então ultimamente em briga para o domínio de riquezas e terras desde a guerra da Bósnia, mas os conflitos não são só questões Os país como a Macedônia,Croácia e Eslovênia então ultimamente em briga para o domínio de riquezas e terras desde a guerra da Bósnia, mas os conflitos não são só questões religiosas, trata-se também da geopolítica Xenofobia, mais esses inimigos podem vir a se unir para enfrentar uma ameaça em comum e depois começarem a brigar.
Desde a guerra os países têm tentado se reerguer em sua economia, indústria, mecânica reconstruir os prédios destruídos e riquezas e territórios e isso causa muito conflito e a xenofobia apenas piora a situação entre esses países.
A Bósnia tem um total de 4 600 000 habitantes e os principais grupos étnico-nacionais são os bósnios que são cerca de 40% desse total, os sérvios são cerca de 30% e os croatas correspondem a mais ou menos 18%.
A causa dos conflitos terem acontecido pode ser o fato de algumas diferenças históricas dessa três etnias.

Referncias:

(Fonte:http://images.google.com.br/imgres?imgurl=http://2.bp.blogspot.com/_ZRMrNHzFJQI/RatvKgeOa4I/AAAAAAAAAGU/qKm6pdC1WFo/s400/Vietname.jpg&imgrefurl=http://artephotographica.blogspot.com/2007_01_01_archive.html&h=288&w=400&sz=27&hl=pt-BR&start=23&sig2=f0g7xGdGz-e-DqdqFlSj9A&usg=__zTlIxZBgsxQWz82KKvSPocOHjgI=&tbnid=xaNCl4fR137WmM:&tbnh=89&tbnw=124&ei=qhbuSI6lEYeKvAX7v7zKBQ&prev=/images%3Fq%3DB%25C3%25B3snia,guerra%26start%3D20%26gbv%3D2%26ndsp%3D20%26hl%3Dpt-BR%26sa%3DN;http://images.google.com.br/imgres?imgurl=http://1.bp.blogspot.com/_XhVLzW3mG1o/SBKQqSqjbRI/AAAAAAAAAR4/VUAN21FV1QA/s320/300px-Evstafiev-sarajevo-building-burns.jpg&imgrefurl=http://vinhoecigarros.blogspot.com/2008_04_01_archive.html&h=320&w=224&sz=18&hl=pt-BR&start=20&sig2=1NRJyYRJgxAeyxnCTBOlOw&usg=__hQqipxXsqrwIuEXBAjJvxpYNwNE=&tbnid=fByt6jFNrgJPuM:&tbnh=118&tbnw=83&ei=5RjuSKL7H6CYugWBysXIBQ&prev=/images%3Fq%3DB%25C3%25B3snia-Herzegovina,guerra%26gbv%3D2%26ndsp%3D20%26hl%3Dpt-BR%26sa%3DN)

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

A Alta Urbanização

A taxa de Urbanização está crescendo bastante e a Industrialização também.
Podemos observar a grande taxa de Industrialização no quadro abaixo.
O setor Primário está relativamente baixo se comparado com o setor Secundário, ou seja, em paises como Alemanha, temos pouca economia rural e matéria prima e bastantes indústrias, o que da para notar é que esse país importa a matéria prima.
A urbanização pode ser boa, ela funciona assim:
Quando acontece uma diminuição da população rural, e um aumento da população das cidades, talvez isso não seja tão bom, as duas coisas (Industrialização e Urbanização) estão ligadas em um anel, a Industrialização gera uma Urbanização, mas a Urbanização gera certa Industrialização, o que significa que esses dois fatores crescerão juntos.
O setor Secundário está bastante alto, mas ainda o que está maior é o Terciário o que são serviços e comércios.
Eu acredito que daqui uns anos teremos pouca matéria prima (setor Primária), e o mundo será uma grande Indústria com setor Terciário elevadíssimo.
Observando o quadro acima o que vemos é o crescimento Urbano acontecendo em maiores proporções em países mais pobres, porque países mais ricos já estão com o índice bastante elevado, os países ricos não crescem Urbanamente pelo simples fato de não terem mais espaço, seguindo essa lógica países pobres com índice baixo, ainda terão espaço para um crescimento Urbano. O fato de um grande crescimento populacional em países pobres pode ser um motivo de preocupação, esses países não tem grandes condições de vida e não tem empregos descentes o que pode ser bastante preocupante, esses países terão que ter um grande crescimento industrial para poder comportar um grande crescimento Urbano.

quinta-feira, 18 de setembro de 2008


A Europa Ocidental é uma região extremamente urbanizada e industrializada. No espaço urbano industrial existe muita concentração na mão-de-obra, a Europa Ocidental produz tecnologia no setor terciário para a exportação de seus equipamentos gerando mais lucros no setor terciário.
O setor terciário é o setor dos comércios sendo o mais econômico. A urbanização está sempre ligada ao processo de industrialização, normalmente ela é a conseqüência mais visível do crescimento industrial que concentra os recursos nas grandes cidades.
O espaço rural também passou a apresentar mecanismos na industrialização com o avanço de maquinas modernas para o plantio e a criação, mas apesar do avanço tecnológico essas atividades primarias ou rurais tem uma pequena participação no conjunto econômico, mesmo assim elas constituem uma forte tradição Européia que ajuda a manter ou reforçar a imagem simbólica da pátria e da nacionalidade.
A Alemanha, Itália e Reino Unido são países super industrializados possuem um enorme parque industrial e são sempre empenhados a lançarem novos produtos no mercado.
Urbanização e Economia Mundial

A Europa é o continente mais industrializado do mundo a maior parte do seu território é urbanizada por empresas e fábricas milionárias, por isso que a maior parte do seu PIB vem dos setores secundários e terciários. A sua população e pequena já que não há uma alta taxa de fertilidade e a maioria da população vive nas cidades industrializadas.
Na África seu território é pouco industrializado o seu PIB é muito baixo já que é um continente pouco industrializado, ele vive do setor primário já que seu território tem maior espaço para agricultura, mas seu terreno não é muito fértil alem disso a população e muito miserável e há muita gente, com isso a maior parte dos seus produtos agrícolas não e exportado e um terreno pouco industrializado e é mais voltado para a sua agricultura.
A uma grande diferença entre a Europa e os outros continentes a Europa se desenvolve muito rápido comparado a outros continentes como a África que quase não se desenvolve economicamente, há economia da Europa esta sempre crescendo já o da áfrica fica sempre estável e quase nunca cresce.

Urbanização em alta


O mundo está se urbanizando, isso é inegável. Cada vez mais a população das cidades está crescendo. Mas também as cidades do interior estão crescendo, se transformando em cidades urbanas. A grande causa para isso é a industrialização, e, em conseqüência, a urbanização.
Com o crescimento da população urbana, crescem também a violência, os assaltos, os roubos. Por essas e outras causas, está acontecendo que as pessoas das cidades urbanas estão indo morar no interior, buscando uma melhor qualidade de vida para si e para suas famílias. Com isso, a capacidade industrial, que se concentrava no Rio de Janeiro e São Paulo, está se espalhando para o resto do país, através do desenvolvimento econômico.
O crescimento da população urbana está se intensificando principalmente nos países menos desenvolvidos, pois nos países ricos e desenvolvidos (imagem de Tóquio) a população urbana é extremamente alta e já esta chegando ao seu limite. Um bom exemplo de alta urbanização é a Inglaterra, onde 95% da população é urbana. Mas, com o crescimento da população urbana nos países pobres, a tendência é aumentara miséria e diminuir a qualidade de vida. Isso é causado pela deficiência nos serviços e pela falta de emprego, que, em grandes proporções, trás também grandes problemas.
Na primeira tabela observamos que a indústria e os serviços são extremamente superiores à produção agrícola na Europa, onde a população urbana é extremamente alta, deixando pouco espaço para a agricultura.Já na segunda tabela podemos observar que a população urbana crescerá em 2030, principalmente nos países menos desenvolvidos, pelos motivos já apontados anteriormente.

A Urbanização no Espaço Mundial






A urbanização está crescendo cada vez mais, e será ruim em alguns anos, isso será ruim porque esse crescimento será das nações mais pobres, e nessas regiões faltam empregos e é deficiente no setor de serviços, o surto de crescimento acelerado e descontrolado aumenta ainda mais a miséria e piora a qualidade de vida, que já é baixa nesses países.
Essa urbanização acelerada gera um crescimento econômico, mas, por exemplo, no Brasil, não adianta ter crescimento econômico se não se tem uma condição de vida aceitável e empregos descentes.
A sociedade atualmente é industrializada por completo, por exemplo, como diz o filósofo Lefrebvre a sociedade nasce da industrialização, e que por isso é constituída por este processo que domina e engole a produção agrícola
A situação das grandes cidades hoje, é tão ruim que as pessoas estão procurando morar no interior para fugir da violência e estresse da urbanização.
A industrialização começou com a mecanização do campo e a transferência da mão-de-obra para as grandes cidades, com a divisão de setores: primários, secundários e terciários, com a predominância deste último setor o poder econômico e a urbanização cresceram.

The Story Of Stuff

Colegas e visitantes do blog,

caso seja do interesse de algum de vocês, aí vai um link de um vídeo para quem quer aprofundar de um modo divertido seu conhecimento sobre a urbanização e como uma coisa liga a outra, onde tudo refletena nossa vida.
O áudio é em inglês, mas isso não é nenhum problema, certo?
http://www.storyofstuff.com/
Bom divertimento! :D

Laura
Passado X Atualmente X Futuro

Antigamente, era comum as pessoas saírem dos campos e se mudarem para a cidade afim de conseguir um emprego melhor e, consequentemente, uma vida melhor. O problema era que nem sempre as indústrias poderiam dar emprego para essas pessoas, então essa gente, agora sem trabalho, acabava indo parar na miséria. Voltando e olhando para trás, notamos que esquecemos do campo, ali, jogado às traças e à mercê do destino... enfim, enquanto as cidades se urbanizavam num ritmo alucinado, o campo continuava sendo...campo. Por isso, que quando andamos na estrada, por exemplo, vemos quilômetros e quilômetros de campo e alguns pontinhos cinzas onde se encontram cidades.
Com o passar do tempo, depois que as cidades já se parecem mais com pratos de pessoas extremamente gulosas (tudo lotado, com coisas até demais) do que com cidades, e a violência e a miséria já tomam conta das ruas e o povo tem medo de sair de casa, não achando mais uma boa idéia morar num lugar tão... tão... tão URBANO... e acabam voltando ao ponto de partida, o campo. Se bobear, aqueles pontos de cidades que vemos na estrada hoje em dia se multiplicarão em alguns poucos anos, a chamada conurbação. Os satélites mostrarão massas cinzas por volta de pequenos pontos verdes, que antes eram predominantes.
A população urbana vai voltar a crescer, mas não nas grandes metrópoles, e sim onde atualmente é a morada daquelas pessoas que buscam a tranqüilidade e uma qualidade de vida melhor para suas famílias.
Atualmente, com aproximadamente 6 bilhões de pessoas por aí, a Terra ainda pode ser considerada uma morada digamos... confortável. Mas, hipoteticamente, se esse número continuar aumentando consideravelmente como tem acontecido nas regiões mais pobres (e na China :D), como é que vamos viver? Imagine 20 pessoas por metro quadrado em uma casa , mais 30.000 pessoas numa fila de emprego, pouco se importando com o baixo salário e a exploração ao trabalhador (viva o Exército de Reserva de Marx -http://pt.wikipedia.org/wiki/Ex%C3%A9rcito_industrial_de_reserva - conhece a palavra “ironia?”), o que aconteceria com o setor primário? Já não é um número relativamente grande, agora pensa se com os campos virando cidades se isso só não vai piorar...
Particularmente, prefiro crer que tudo não passa de piração da minha cabeça devido à um erro nas previsões, porque convenhamos, se a população aumentar, como é que vamos tomar banho com 19 pessoas dividindo o mesmo metro quadrado que a gente? Eu, hein, Deus me livre...

As preferências de hoje



Como diz o texto, de que as pessoas estão começando a procurar espaços rurais para viver, e não mais nas grandes cidades... Acredito que isso seja verdade, pois hoje em dia especialmente ou somente, os mais velhos procuram lugares ao interior para morar por cauda da qualidade de vida que se leva lá. Os mais novos não pensam igual, querem morar na cidade, porque é onde acontecem as festas, é onde o mercado de trabalho é maior e mais diversificado! A juventude não pensa na qualidade de vida ou na sua “paz interior” pode se dizer. Os jovens de hoje vão para a festas a meia noite, voltam as 6h da manhã tomam um banho de vez em quando um café e vão para o colégio. Nem se preocupam em dormir pelo menos 7 horas ao dia. Talvez seja por isso e por vários outros fatores parecidos que o mundo de hoje anda tão estressado e impaciente, porque as pessoas não tem QUALIDADE DE VIDA! Se metade da população de qualquer cidade, país, estado... vivesse no campo, dormisse 8 horas e comesse uma cenoura em vez de bolachinha o mundo de hoje seria bem melhor. Outro fator que me chamou atenção, foi o de que as pessoas parariam de ter filhos, daí porque hoje em dia o que interessa é o DINHEIRO, vivemos para o dinheiro, vivemos para ganhar dinheiro. Hoje quem é que sonha em ter 3 filhos, morar no campo e viver de sua própria plantação? Todos, se não a maioria, sonha em se formar na faculdade e ir trabalhar na cidade!
Até mesmo a Internet pode ser uma culpada disso tudo, hoje os alunos pesquisam no Goolge e não em bibliotecas e tudo mais...
Na verdade todos temos culpa e o mundo, já não é mais o mesmo!

Entrando um pouco mais adentro do assunto: URBANIZAÇÃO




Acho importante ressaltar que o setor terciário no quadro da página anterior, como foi visto, é de maior número. Atualmente, temos em vista que cada vez mais a ciência vai se evoluindo; vão se descobrindo muitas coisas e entre elas está ligado também ao uso de fábricas e etc. Acredito que podemos dizer que todos nós, apesar de bem informados, se o país (em termos econômicos) está onde está, com certeza é por desleixo da população. Também diz-se no texto o seguinte: “Atualmente, a tendência de crescimento é ascendente nos países pobres, enquanto nos países ricos praticamente já está se encerrando o processo de urbanização”.
Isso já diz tudo, mas é claro !! A população mais pobre, teoricamente, é pobre porque a população está crescendo muito rapidamente e exageradamente. Se pararmos para pensar, logo perceberemos que as famílias mais pobres são sim as que mais crescem a cada dia. A pobreza gera de: Aumentos da população fazendo com que os empregos descentes se esgotem brutalmente e assim, pessoas moram nas ruas; outras mendigando e também pedindo esmolas nas sinaleiras, e, até mesmo se prostituindo.
Outro termo interessante do texto é quando diz que as previsões para 2015 é que “das 10 cidades maiores do mudo, oito estarão pobres”.
Então quer dizer;.. se os maiores países estarão na miséria, o quê podemos imaginar do resto ?
MISÉRIA TOTAL ?
Não haverá nem o que beber. Todos morarão em favelas, o bandidismo aumentará... ou seja, todos iremos colher o que um dia alguém plantou.. ou até mesmo o que nós plantamos, pois somos responsáveis pelos nossos atos. A população vai empobrecendo mais porque a realidade de vida que encontram é respectivamente essa: pobreza. Até mesmo na televisão, aparece muito de pessoas que moravam no interior e que decidiram ir par a cidade grande (SP) para conseguir algo melhor... resumindo, pessoas sem estudo nenhum.. quando chegaram lá, passaram a viver à base de “pão e água” e pediam para o programa leva-los para casa.. No país em que vivemos, hoje em dia se a pessoa não tiver estudo, não é nada !
A questão da educação então, acredito claramente que uma pessoa bem informada e culta usará métodos contraceptivos porque antes de fazer um filho, logicamente pensará em seu futuro, quanto uma pessoa que não tem estudo pode pensar “sou pobre e sei que não tenho futuro mesmo....” gerando assim, mais frutos que provavelmente, no futuro ensinados por seus pais a estar “nem aí” farão a mesma coisa. As vezes também há falta de dinheiro; fazendo com que a pessoa não possa comprar camisinhas e etc.

Urbanização do Mundo


A urbanização do mundo

A urbanização tem se espalhado cada vez mais pelo mundo e hoje em dia é muito difícil ter uma vida boa vivendo em áreas pobres e pouco urbanizados, mas com a urbanização crescendo a poluição também se espalha destruindo a camada de ozônio , assim aumentando a potência dos raios ultravioletas causando doenças e o derretimentos dos pólos.
Assim muitas pessoas estão se mudando para o interior para fugir da poluição que existe nas cidades para uma vida melhor e mais calma para família, mas com o passar dos anos a urbanização do mundo se espalha e cada dia à menos áreas verdes e longe da agitação da cidade e a maioria dos políticos pensam em usar o dinheiro que tem em poder para industrializar o país, mas com a industrialização do país as pessoas começam a perder os empregos e são substituídos por maquinas.
Mas com tanto dinheiro que poderia ser utilizado na educação de crianças e melhorar hospitais é usado para construir mais maquinas que substituem as pessoas no trabalho e mais ficam desempregados.


Urbanização


Urbanização
Em uma região há uma cidade desenvolvida, porém nãoé uma grande cidade, essa cidade pode comercializar com outras cidades urbanizadas, tanto terrestres (caminhões etc.), quanto aérea (aviões) e marinha, a cidade pode vender seus produtos aos ruralistas, que depois de terem equipamentos mais sofisticados virariam industrias e logo fariam parte da cidade que vinha se desenvolvendo.
Com o conteúdo do quadro que aparece dá para perceber que quanto maior a porcentagem de setores que o país tem maior a urbanização dele.


Industrialização vs População



A industrialização faz com que a urbanização aumente. Comparando os dois quadros percebemos que a Europa é um continente muito industrializado, tende a diminuir a população comparado com a Ásia, um continente nem tanto industrializado.
A Oceania como a Europa também tende a diminuir a população , mostrando que os setores secundário e terciário fazem com que a urbanização diminua, pois hoje as pessoas preferem coisas mais rápidas e fáceis como não ter filhos, já que cuidar e educar uma criança (a geração adulta de amanhã) hoje gasta muito tempo e dinheiro das pessoas.

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Conflito da Geórgia e Ossétia do Sul

O conflito vem acontecendo da seguinte maneira, a Ossétia do Sul proclamou independencia da Geórgia, a Geórgia não aceita, a Rússia aliada da Ossétia do Sul, concordava com ela.
Logo após um grande conflito que aconteceu em 1992 e deixou muitos mortos, a Ossétia do Sul se declarou independente, desde então a Geórgia, Rússia e a Ossétia vivem um grande conflito.
Na minha opinião, isso é uma coisa muito indecente da parte da Geórgia porque uma região tem todo o direito de ser independente!

Conflito entre a Geórgia e a Ossétia do Sul

O conflito que esta acontecendo entre a Geórgia, a Rússia e a Ossétia do Sul, vem acontecendo logo após a Geórgia ter proclamado sua independencia. A Ossétia do Sul quer a sua independencia da Geórgia.
Depois de um conflito em 1992 que deixou muitos mortos a Ossétia do Sul proclamou sua Independencia da Geórgia que, por sua vez, não aceitou a separação e queria retomar o que acreditava ser seu. Desde então, a região tem vivido um clima de tensão com a Geórgia querendo retomar a região e a Ossetia do Sul que é apoiada pelo Rússia.
Por que a Geórgia, a Rússia e a Ossétia do Sul tem que resolver essa situçao entre eles de forma agressiva em vez de descutirem pacificamente fazendo uma reunião?
O que voce, leitor, acha que eles deveriam fazer?

sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Geórgia X Rússia

Nos últimos dias um novo assunto está virando notícoa no mundo inteiro: o conflito entre Rússia e Geórgia.
O embate deve-se a um outro choque que aconteceu em 1992 e deixou muitos mortos. Tudo começou quando a Ossétia do Sul proclamou sua independência da Geórgia, que não aceitou a separação.
Desde o acontecido, a região está em clima de tensão com a Geórgia que quer retomar a região e a Rússia, que apoia a separação ossetiana. Na sexta-feira (08/08/08), forças militares georgianas invadiram a Ossétia do Sul. O presidente da Geórgia denunciou que aviões russos bombardearam o território georgiano após o ofensiva.
Guerras e conflitos não levam a nada a não ser a mais sangue derramado. Episódios como esses citados no texto acontecem desde novembro de 1989 e nada se resolveu. Será que milhares de inocentes precisam sofrer ou até mesmo MORRER por questões políticas como esta entre Rússia e Geórgia?
Isso NÃO pode acontecer. Na minha opinião, essas questões devem ser resolvidas com trocas e acordos de paz. Inocentes não podem pagar por erros dos outros, feitos no passado.

quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Ossétia do Sul

A Rússia por notar que, a região da Ossétia do Sul era rica em petróleo, resolve incentivá-los a criar uma rebelião e obrigar a Geórgia a anexá-la à Rússia.
A Geórgia por sua vez sabendo da riqueza da Ossétia do Sul, não quer dar o braço a torcer, pois sabendo que no caso de independência aquela região, além de perder aquela riqueza natural, poderia perder o poder sobre seus territórios.
Os EUA vendo a oportunidade retiram seus exércitos do Iraque e envia-os para a Geórgia (anunciaram que fariam isso, ao menos...), provavelmente dominará a região e extrairá o petróleo.
Em minha opinião temos de encontrar uma solução que agrade ambos os lados, pois, todos têm o direito de ser e viver felizes, cada um com seus problemas e com seus benefícios, um bom exemplo seria colocar postos petroquímicos para enviar o petróleo para Geórgia e Rússia e dar a independência a Ossétia do Sul.
E você o que pensa sobre isso?

domingo, 29 de junho de 2008

Quastionário (1º do 2º trimestre)


Com base no texto “Geopolítica do Mediterrâneo europeu”, responda:

1) Por que o autor diz que o Mar Mediterrâneo é uma encruzilhada?

2) Como os romanos chamavam o Mar Mediterrâneo?

3) Em termos de conflitos o que se pode dizer a respeito do Chipre?

4) Como é a relação geopolítica entre a Albânia e a Turquia?

5) Baseado no texto e em pesquisas auxiliares, descreva como está a situação geopolítica na Ex-Iugoslávia:

6) A Itália é um país que apresenta conflitos internos? Sim ou não? Por quê?

7) Como estão hoje os conflitos no interior da França?

8) Por que a Espanha não tem mais sofrido com os atentados terroristas dos separatistas bascos?

9) Por qual razão o autor do texto associa os conflitos entre os países banhados pelo Mediterrâneo aos diversos povos que ali vivem?

10) Por que razão o autor chama Israel de “corpo estranho”?

11) Num mapa/ Atlas atual, identifique listando os países que são banhados pelo Mar Mediterrâneo:

12) Por que o autor do texto afirma que o Mar Mediterrâneo é emoldurado por uma geologia recente?

13) Com o auxílio de um Atlas, num mapa físico, identifique listando os principais relevos que cercam o Mediterrâneo:

14) Via corpo d’água, quais são as outras passagens que ligam o Mar Mediterrâneo a outros mares e oceanos?

15) Que continentes são banhados pelo Mar Mediterrâneo?


16) Identifique listando as principais ilhas do Mar Mediterrâneo e os países aos quais pertence cada uma delas:

quarta-feira, 25 de junho de 2008

Geopolítica do Mediterrâneo europeu


por Nelson Bacic Olic (Saiba + sobre o autor e o que ele diz)


O Mediterrâneo, classificado como um mar quase fechado, banha três continentes: Europa, Ásia e África. Possui uma ligação natural com o Oceano Atlântico através do estreito de Gibraltar e, outra artificial, que o conecta com o Mar Vermelho e Oceano Índico através do canal de Suez. Os estreitos de Bósforo e Dardanelos o colocam em contato com o Mar Negro.


O Mediterrâneo apresenta grandes profundidades e é emoldurado por cadeias montanhosas de formação geológica recente, como os Pireneus (entre Espanha e França), Alpes (sudeste da França), Apeninos (Itália) e cadeia do Atlas (noroeste da África). A existência de inúmeras penínsulas (Ibérica, Itálica, Balcânica, do Peloponeso) tornam a costa mediterrânea bastante recortada, condição geográfica que foi aproveitada para instalação de portos como os de Barcelona (Espanha), Marselha (França), Gênova (Itália) e Pireu (Grécia).


Dezoito são os Estados que possuem terras banhadas pelo mar Mediterrâneo. Eles apresentam grandes diferenças no que se refere ao tamanho, evolução histórica e nível de desenvolvimento.

Por exemplo, há países como a Espanha, a Itália e a Grécia que são membros da União Européia. Há aqueles que fazem parte da OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte) como a Turquia e a França. Também são “mediterrâneos” países árabes-muçulmanos como a Síria, Egito, Líbia, Marrocos, Argélia e Tunísia, assim como aqueles que até recentemente adotavam o sistema socialista como a Albânia e a Croácia. Existem ainda Malta e Chipre, países insulares que só conseguiram suas independências na década de 1960 e, por fim Israel, um “corpo estranho” em meio ao “mar” árabe-muçulmano que é o Mediterrâneo Oriental.


Praticamente todos os países europeus que margeiam a bacia do Mediterrâneo apresentam ou apresentaram num passado recente, tensões e conflitos internos ou problemas no relacionamento com nações vizinhas. A Espanha, por exemplo, se defronta há décadas com problemas relacionados ao separatismo basco. Este povo é culturalmente bem distinto dos espanhóis, especialmente no que diz respeito à língua. Os bascos lutam pela existência de uma nação independente que se localizaria junto à porção norte da região dos Pireneus, se estendendo tanto pelo território espanhol (quatro províncias) quanto pelo francês (três províncias).


O principal grupo separatista basco, conhecido pela sigla ETA (Pátria Basca e Liberdade), freqüentemente tem cometido atentados (cada vez mais repudiados pela própria população basca), contra órgãos e autoridades do governo espanhol. No final da década de 1970, com a volta da democracia à Espanha após um longo período ditatorial iniciado ao final dos anos 1930, o governo espanhol concedeu maior autonomia ao país basco. Boa parte da população basca, aparentemente, se acomodou a esta nova situação.


A França, por outro lado, vem assistindo o aumento das ações de grupos separatistas que pretendem tornar independente a ilha de Córsega, há séculos sob domínio francês. Além disso, na França "continental", têm se avolumado as tensões entre franceses e imigrantes, especialmente aqueles oriundos do Magreb (Marrocos, Argélia e Tunísia), países de antiga colonização francesa. Por conta desta situação, partidos políticos de extrema-direita, com discursos xenófobos e racistas, têm visto crescer seu número de eleitores.


Na Itália, a persistência do tradicional desequilíbrio regional entre as regiões norte e sul do país, vem fazendo crescer os movimentos que visam separar a desenvolvida e industrializada região setentrional, da pobre e subdesenvolvida área sul, o Mezzogiorno. Os separatistas agrupados na Liga Norte, chegaram inclusive a proclamar simbolicamente, em setembro de 1996, a independência da Padânia (denominação genérica dada às áreas drenadas pelo rio Pó).


Cerca de 85% do litoral da antiga Iugoslávia socialista era composto por terras pertencentes à Croácia e Montenegro, territórios banhados pelo Adriático, um dos mares que formam o Mediterrâneo. Desde 1991, quando o Estado iugoslavo se desintegrou, a Croácia tornou-se um país independente, enquanto Montenegro (juntamente com a Sérvia) continuou a fazer parte do que “sobrou” do antigo país, a “nova” Iugoslávia. Tanto a Croácia como a “nova” Iugoslávia estiveram envolvidas na sangrenta guerra da Bósnia (1992/95). A existência de minorias nacionais de origem sérvia na Bósnia e na Croácia e de minorias croatas na Bósnia, se constituiu na razão principal desse trágico conflito que fez cerca de 250 mil vítimas fatais.


A Albânia, outro país banhado pelo Adriático, tem se envolvido, ainda que de forma discreta, no apoio a reivindicações separatistas de albaneses étnicos existentes em áreas da Sérvia (majoritários na província de Kosovo) e na Macedônia, outra das repúblicas que fazia parte da ex-Iugoslávia. Para muitos analistas internacionais as tensões geopolíticas da região de Kosovo encerram um potencial de conflito que, dependendo de sua evolução, poderá se alastrar por toda a Península Balcânica. Grécia e Turquia são outros dois Estados banhados pelo Mediterrâneo, através dos mares Egeu e Jônico. Apesar de serem membros da OTAN, ambos têm uma tradicional rivalidade fato que, nas últimas décadas, tem colocado os dois países em “pé-de-guerra” em várias ocasiões. Essa situação é resultado do histórico antagonismo entre gregos (cristãos ortodoxos) e turcos (muçulmanos), mas também de duas outras questões: as disputas pela soberania sobre áreas do mar Egeu, aparentemente ricas em petróleo na plataforma continental e também por conta de tensões intercomunitárias que ocorrem em Chipre.


Estado insular do Mediterrâneo oriental, Chipre é uma ex-colônia britânica que ficou independente em 1960 e que tem uma população composta fundamentalmente por dois grupos étnico-nacionais. Um pouco mais de 60% de seus habitantes é formado por indivíduos de origem grega (os greco-cipriotas) e o restante por turco-cipriotas. As rivalidades entre essas duas comunidades, em várias ocasiões desde a década de 1970, quase arrastaram a Grécia e Turquia para um conflito generalizado. Desde 1974, Chipre se encontra dividido de fato em duas áreas distintas: a parte norte, sob o domínio turco-cipriota e a porção meridional, controlada pelos greco-cipriotas.


Todavia, não se deve esquecer que essa região sempre foi uma encruzilhada de rotas e de influências culturais, onde floresceram importantes civilizações, cujo legado se disseminou para muito além das áreas banhadas por esse mar que, na Antigüidade, chegou a ser denominado de "Mare Nostrum" pelos romanos.

(Fonte: Disponível em: <http://www.clubemundo.com.br/revistapangea/show_news.asp?n=152&ed=4>. Acesso em: 25 jun. 2008.)

quinta-feira, 15 de maio de 2008

Robótica Assunção

O Colégio Marista Assunção disponibiliza kits Lego e Vex, para que os alunos manuseiem as peças e motores de forma criativa e independente, construindo carrinhos, robôs, máquinas e outras criações de maneira lúdica e prazerosa.
Os kits possuem comandos programáveis, sendo possível o manuseio pelos próprios alunos. As oficinas são realizadas em grupos afins, de acordo com idade e interesse de cada um.

Mais:

- Robótica do Assunção esteve no FISL 9.0

- Assunção vence Vex Bridge Battle

- Assunção conquista 2º lugar em desafio de robótica